Algumas dicas de psiquiatras que nos ajuda a avaliar personalidades do Brasil atual: 1) -“Não sou nem de esquerda, nem de direita, sou pelo Brasil!” – (é de direita). 2) -“Não tenho partido, meu partido é o Brasil!” – (vota no PSDB). 3) -“Quero que a corrupção seja combatida no PT, PSDB ou PQP!” – (quer que a corrupção seja combatida apenas no PT. No perfil pessoal, só tem publicações contra o PT. Contra o PSDB ou PQP, nada). 4) -“Não sou coxinha nem petralha, sou brasileiro!” – (é coxinha). 5) -“Quero meu país livre da corrupção!” – (vota em Alckmin há 15 anos). 6) -“PT gosta de sustentar vagabundo!” – (perdeu a escrava doméstica e tá tendo que lavar os pratos). 7) -“Não sou PSDB, mas também não concordo com o Bolsa-Esmola do PT!” – ( é fascista) . 8) -“PT dá casa pra vagabundo!” – (é proprietário de várias casas para alugar). 9) -“Estou indignado com tanta corrupção!” – (segurou o cartaz ‘Somos milhões de Cunhas’). 10) -“Nenhum político presta!” – (é analfabeto político). 11) -“Tempos bons eram os de FHC!” – (é rico). 12) -“Não sou de direita, mas tem que tirar essa vagabunda do poder!” – (votou em Aécio e está com o avatar de Bolsonaro na foto do perfil). 13) -“O PT não ensina a pescar e ainda rouba os rios e o anzol!” – (é fã de Lobão, assina a Veja, assiste e ri com Danilo Gentili, e publica ‘pensamentos’ de Arnaldo Jabor). 14) -“O PT quer parar com as investigações!” – (é burro). 15) -“Não sou de direita, mas o PT é uma quadrilha!” – (vota no PSDB desde que tirou o título). 16) -“Não bato panelas contra partido A ou B, mas contra a corrupção!” – (tem que bater uma panela de pressão na própria cabeça). 17) -“Não pude trocar meu carro, um absurdo o preço!” – (nunca passou fome ou se importou com quem já passou). 18) -“Não sou de direita, mas minha bandeira não vai ser vermelha! Fora Dilma, fora Lula, fora PT, fora petralhas, fora comunistas, vão embora para Cuba e deixem nosso país em paz!” – (é caso perdido, tem que ser internado). 19) -“Encher o Peito e chamar alguém de Pão com Mortadela” -(Pobre SOBERBA que passava fome e melhorou de vida no governo Lula/Dilma e hoje se acha rico por que vota em Aécio que é candidato de rico). 20) – “A foto de perfil de luto, ou bandeira do Brasil! (Pra mim ja diz tudo acima, então evito para não causar mais problemas que os já reais.) (autoria desconhecida)edua-oliveira-prova

Prezado Lula, Eu entendi o que você quis dizer quando, dentro da linguagem trôpega que lhe é peculiar, mas sempre eloquente e rica em figuras de linguagem, falou que: ” (…) as pessoas achincalham muito a política. Mas a profissão mais honesta é a do político. Sabe por quê? Porque todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir para a rua encarar o povo, e pedir voto. O concursado não. Se forma na universidade, faz um concurso e está com emprego garantido o resto da vida. O político não. Ele é chamado de ladrão, é chamado de filho da mãe, é chamado de filho do pai, é chamado de tudo, mas ele tá lá, encarando, pedindo outra vez o seu emprego”. É óbvio, numa singela interpretação de texto, que o que está dito aí por você é que o servidor político com mandato, além de estar sujeito aos mesmos processos que um servidor concursado, para se manter “servidor” ainda tem que passar pelo crivo do maior dos tribunais, o do sufrágio direto, secreto e universal; o que não é imposto ao egresso pela via do concurso. Quem entendeu diferente, infelizmente, não o entendeu. Entendi que você quis dizer em sua retórica: Que concurso é importante, mas que bom seria se pudéssemos, de quatro em quatro anos, decidir, no voto, se aquele servidor concursado, que lhe atende mal na repartição, como que lhe fazendo um favor, poderia continuar no serviço público. Que bom seria se pudéssemos, a cada eleição, decidir se aquele juiz concursado, aprovado em primeiro lugar no certame, mas moroso no seu ofício, poderia continuar no serviço público. Que bom seria se pudéssemos, a cada julgamento democrático da eleição, decidir se aquele médico concursado, dos mais aplicados na graduação, mas que no hospital público atende um paciente em trinta segundos, sem sequer olhá-lo nos olhos, poderia continuar no serviço público. Que bom seria se pudéssemos decidir nas próximas eleições se aquele professor concursado, de impecável currículo lattes, mas que é ausente contumaz na sala de aula, deveria continuar no serviço público. Sim, compreendi o dito por você em metáfora: Que estar no serviço público pela via do voto não torna ninguém um demônio. E também estar ali pela via do concurso público não habilita ninguém a santo. Devem, os dois, contas ao patrão. Mas que o primeiro tem que se submeter de tempos em tempos a um órgão sensor a mais: o voto popular, isso é inegável. O outro, ainda não. Até. Douglas Antério13419207_1003724926343538_795677004006760040_n

Pois é, Lula e Dilma … Quem mandou misturar pobres e negros com brancos e ricos em universidades públicas? Quem mandou tratar as empregadas domésticas como cidadãs de direitos? Quem mandou lotar os saguões dos aeroportos de chinelos, bermudas e óculos made in china? Quem mandou ajudar favelas inteiras a comprar telelevisores de 50 polegadas? Quem mandou deixar tantos peões frequentarem auto escolas? Quem mandou tornar as estradas intrafegáveis em feriados prolongados? Quem mandou forçar as patricinhas a dividirem os corredores e lojas de shoppings com piriguetes mascando chicletes? Quem mandou custear – de graça – universidades privadas para balconistas, borracheiros e pedreiros? Quem mandou fazer sorrir que não tinha dentes? Quem mandou facilitar o acesso de tanta gente aos balcões das farmácias? Quem mandou sair por aí construindo casas para quem pagava aluguel ou vivia debaixo de viadutos? Quem mandou retirar 30 milhões de brasileiros da linha da pobreza? Quem mandou querer governar um país em que pobres são como podres? Quem mandou insistir? Quem mandou querer ir até o fim? Quem mandou firmar um pacto com as elites para assumirem suas responsabilidades por mais de quinhentos anos de miséria? As elites não querem mais sustentar esse acordo. Consideram o ônus pesado demais. Para as elites, o que não tem remédio, remediado está. Querem o poder de volta para si. Querem de volta toda a ostentação como meio de contenção de suas culpas depressivas. Agora, Lula e Dilma você espera algum reconhecimento? De quem? Dos alunos das cotas? Do alunos prouni? Das domésticas cidadãs? Dos tantos milhões que ascenderam? As elites não vão permitir. No jogo das inversões midiáticas, conseguem punir a verdade dos fatos e reforçar a mentira, até que a mentira se torne verdade. Evaristo Magalhães – Psicanalista14355677_1129168490502858_2347749572621677275_n