Diário do Centro do Mundo Tijolaço: Teori inclui Lula nas investigações da Lava Jato num processo em que a forma prenuncia o resultado

Publicado no Tijolaço. POR FERNANDO BRITO   O ministro Teori Zavascki atendeu o pedido de Rodrigo Janot e incluiu o ex-presidente Lula na investigação da Lava jato. Que, aliás, segue o perigosíssimo caminho de investigar “núcleos” e não crimes determinados. O que leva a investigar pessoas, mais do que fatos. Daí para o “domínio do fato” é um pulo, porque a lógica é que há uma organização criminosa e não apenas pessoas praticando crimes, sós ou em associação permanente com outras. Aliás, núcleos, por definição, pedem um centro… Curioso é que esta lógica não é seguida – e não deve mesmo ser – em outros casos. Rouba-se no Metrô de São Paulo. Rouba-se na Fepasa. Rouba-se na Cesp. Rouba-se em outras estatais paulistas. Logo, segundo esta lógica, há um núcleo roubando. E um núcleo, claro, deve ter um centro. Mas não é assim que se faz. Não se tem notícias de que o governador e o ex-governador estejam sendo investigados, porque são tratados como eventos separados. Não vale o argumento de que todos os dirigentes destas empresas foram e são nomeados por eles. E é correto, enquanto não se tem indícios fortes de que eles ordenaram ou participaram dos atos de corrupção. Agora, não: há um objetivo no qual tudo vai sendo encaixado. “Dá-se um jeito de caber”, como ironiza o ex-procurador Eugenio Aragão. Em lugar da culpa, deve-se provar – e cabalmente – a inocência, mesmo que não se possa provar intenções. Se Lula não for condenado por navio-sonda, será por pedalinho; se não puder ser por refinaria, será por apartamento; se não “colar” o gasoduto, serve o sítio, se não tiver propina, servem os caixotes do acervo presidencial, segundo o MP guardados num galpão pago com propinas pagas por obras bilionárias de duas refinarias, que ridículo… Os ministros do Supremo Tribunal Federal – e ação ou omissão, no caso deles no es lo mismo, pero es igual –  já decidiram, tanto quanto o Procurador Geral,  que se lhes exige condenar Lula e, provavelmente, Dilma. Os dois que, aliás, indicaram a quase todos eles para os cargos que ocupam. Talvez, quem sabe, seja uma “autocrítica”.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Tijolaço: Teori inclui Lula nas investigações da Lava Jato num processo em que a forma prenuncia o resultado

Paulo Pimenta

14595670_1283468811746072_1286732524355071839_n

O PRÉ-SAL, AGORA, É DELES

Segundo estimativas, 93% das reservas de petróleo do planeta estão nas mãos de empresas estatais. Entre os maiores produtores mundiais, apenas o Kuwait e o Iraque privatizaram suas reservas. Coincidência? Esses dois países foram invadidos pelos Estados Unidos e como pena de guerra tiveram que ceder suas reservas às empresas norte-americanas. Já aqui no Brasil, o governo golpista de Temer e um Congresso entreguista fizeram o serviço sujo para as multinacionais, entregando o nosso pré-sal de graça.

Leia: https://goo.gl/O8Bt68

#ForaTemer#LutarSempre#NãoaPec241#ePP

Breno Altman

UM DIA EU QUERIA ENTENDER…

13220890_10208286844661634_2123835540038726555_n

UM DIA EU QUERIA ENTENDER…

Os governos Lula e Dilma indicaram oito dos onze atuais integrantes do STF: em sua maioria, votam pela prisão em segunda instância, são cúmplices do golpe parlamentar, aprovam invasão da polícia em residências sem mandatos, chancelam os atropelos constitucionais da Lava Jato, protegem os parlamentares e dirigentes dos partidos conservadores.

Alguém é capaz de explicar como os dois presidentes erraram tanto nas indicações?

Claro que um ou outro sempre poderia trair, mas todos? Nesse caso, o problema parece estar mais no método e concepção da indicação do que nos indicados.

Como foi possível cometer erro tão medonho, um dos pilares da onda reacionária em curso?