Xô, sexta-feira 13! Por que essa data é tida como sinal de azar no Brasil e no mundo?

O ano mal começou e janeiro já traz uma das datas mais temidas no Brasil e no mundo: sexta-feira 13. Tem gente que recorre a uma série de supertições para não ser atingido pelo azar associado ao dia. Há de tudo, desde evitar passar por baixo de escada, não deixar tesoura aberta em casa, até carregar patuá, crucifixo e fita.

Fonte: Xô, sexta-feira 13! Por que essa data é tida como sinal de azar no Brasil e no mundo?

Diário do Centro do Mundo Vamos fingir que Temer, que indicou Geddel para a Caixa, não sabia dos esquemas com Cunha. Por Kiko Nogueira

  O silêncio de Michel Temer diante d0 novo escândalo envolvendo dois de seus antigos homens fortes, Eduardo Cunha e Geddel Vieira Lima, é ensurdecedor. Temer, o bom e velho covarde com quem nos acostumamos, manter-se-á calado porque tem as mãos sujas. Até quando é que são elas. Num vídeo que viralizou, MT aparecia num culto da Assembleia de Deus confessando que as tarefas difíceis ele entregava para Cunha. A produtiva amizade culminou no impeachment. Hoje Cunha é uma ameaça porque sabe de tudo. A operação Cui Bono (“Quem se beneficia”, em latim) da PF colocou Geddel como membro de uma “organização criminosa”. No posto de vice-presidente da Caixa, liberava empréstimos para empresas. Na sequencia, Cunha chegava para cobrar propina ou “doação” para o PMDB. O nível da coisa fica explícito nas trocas de mensagens de um celular apreendido na Residência Oficial da Câmara. Questionado por Eduardo sobre uma movimentação envolvendo a J&F, Geddel responde: — Ta resolvido Ta na pauta do CD de terça Vc tá pensando que eu sou esses Ministros q vc indicou? Abs. Cunha devolve com o proverbial “rsrsrs”. Geddel foi indicado para o cargo por Michel Temer, então vice decorativo e bastante ativo nas sombras, e presidente nacional do partido. De acordo com uma matéria do Globo de 2011, a indicação “foi acertada com o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci”. Temer e Geddel se conhecem há 23 anos. A proximidade ficou evidente na pressão que Michel exerceu sobre Calero no episódio do edifício La Vue e na subsequente tentativa de segurar Geddel quando o escândalo estourou. É assim que esse pessoal opera. Está tudo em casa. Veja o caso do novo secretário nacional de juventude, Francisco de Assis Costa Filho. Substituto de Bruno Júlio, o indigente mental que defendeu mais chacinas em presídios, Assis Filho, do PMDB do Maranhão, teve os bens bloqueados num processo por enriquecimento ilícito e improbidade administrativa. Ninguém olhou? Havia alternativa de um sujeito ficha limpa? Provavelmente, não. Curioso que, agora, ninguém se lembre da teoria do domínio do fato. Como dizia Jucá, Michel é Cunha — que é também Geddel, que é Assis Filho, que é Padilha, que é o golpe. Em breve, estarão todos juntos novamente, mas numa cadeia.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Vamos fingir que Temer, que indicou Geddel para a Caixa, não sabia dos esquemas com Cunha. Por Kiko Nogueira

Temer celebra estagnação e apanha dos internautas | Brasil 24/7

Michel Temer foi ao Twitter comemorar “crescimento” de 0,2% da atividade econômica e recebeu uma onda de protestos dos internautas; também pudera: com o golpe, o Brasil entrou na maior recessão de sua história e produzirá um em cada três desempregados no mundo em 2017

Fonte: Temer celebra estagnação e apanha dos internautas | Brasil 24/7

Roubo na Caixa favorecia PMDB, chefiado por Temer | Brasil 24/7

Investigação da Polícia Federal aponta o partido comandado por Michel Temer como beneficiário da propina oriunda de um esquema na liberação de crédito da Caixa para empresários, no qual estão envolvidos Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Temer, e Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara e principal responsável pelo golpe; “Os valores indevidos eram recebidos (…), tendo como destinação o beneficiamento pessoal deles ou do PMDB”, aponta o procurador Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, no relatório sobre a Operação “Cui Bono?” (“A quem beneficia?”), deflagrada nesta sexta-feira 13

Fonte: Roubo na Caixa favorecia PMDB, chefiado por Temer | Brasil 24/7

Kassab: Declaração de Kassab reacende debate: era da Internet ilimitada corre risco? | Brasil | EL PAÍS Brasil

Debate sobre franquia de dados na internet fixa é reaberto após ministro afirmar que medida poderia passar a valer em 2017. Anatel nega

Fonte: Kassab: Declaração de Kassab reacende debate: era da Internet ilimitada corre risco? | Brasil | EL PAÍS Brasil