Diário do Centro do Mundo Desembargador que vetou aumento de vereadores de SP ganha R$ 92 mil

Da coluna de Mônica Bergamo na Folha: O desembargador que barrou o aumento de salário dos vereadores de SP –de R$ 15 mil para quase R$ 19 mil– recebeu R$ 92 mil de salário em novembro. O mês é o último com dados atualizados no portal do TJ-SP (Tribunal de Justiça de SP). Dimas Borelli Thomaz, assim como outros desembargadores da corte, possui ganhos acima do teto constitucional, de R$ 33,7 mil. NO PAPEL Na sentença sobre a Câmara Municipal, Thomaz escreveu que o reajuste “mostra-se incompatível com os primados da moralidade, da proporcionalidade, da razoabilidade e da economicidade”. NA FORMA DA LEI O salário dos desembargadores tem como paradigma o valor de R$ 30 mil. O excedente, segundo o TJ-SP, se refere a subsídios e verbas indenizatórias. Thomaz diz que sua folha de novembro inclui uma parcela do 13º e recomposições. “Não existe ilegalidade nem imoralidade”, afirma.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Desembargador que vetou aumento de vereadores de SP ganha R$ 92 mil

Diário do Centro do Mundo Presidente da Câmara de São Bernardo quer vetar batom, esmalte claro, saia curta e perfume

Da Revista Fórum:   O novo presidente da Câmara de Vereadores de São Bernardo do Campo (SP), Pery Cartola (PSDB), surpreendeu ao reunir os chefes de gabinete na última quarta-feira (11) para entregar um “Manual de Etiqueta” para servidores públicos e vereadores da cidade. As regras incluem o uso de meia combinando com a calça, além da orientação de evitar perfumes fortes, batons e esmaltes escuros. Apesar de o documento não prever penalidades, o presidente não descarta a ideia de transformar as recomendações em decreto. O Sindicato dos Servidores Públicos (Sindserv) já se manifestou sobre o caso e afirmou que o gosto pessoal dos trabalhadores não interfere na qualidade do serviço prestado. Já para Pery, o guia visa respeitar os moradores e eleitores do município. “Não é um manual para causar polêmica ou constrangimento, porém, enquanto estiver na repartição pública, tem que dar ao respeito e estar bem vestido”, afirmou. Confira algumas regras abaixo: Para mulheres Prefira batom e esmaltes claros, saias na altura do joelho. Não use saltos altíssimos, bainhas malfeitas, roupas amassadas, muita maquiagem, cabelos despenteados, unhas longas. Cuidado com babados e rendas. Colo e costas à mostra? Nem pensar. Não exagere no perfume. Prefira colônias frescas ou lavanda. Para homens Não use meias claras e branca com trajes escuros. A meia é uma extensão da calça e prolongamento do sapato. Nada de bermudas, calça caindo e camisa para fora da calça. Não use perfumes forte. Em clima quente, é ideal o uso de camisas sociais de mangas curtas ou compridas que combinem com a calça. Evite sandálias franciscanas. Prefira roupa tradicional. Evite gravata de bichinho, de crochê ou frouxa no colarinho. Barba deve ser feita todos os dias ou aparadas. Recomendação para cumprimentar as pessoas Jamais cumprimentar alguém com a mão mole ou tocando somente nas pontas dos dedos. O aperto de mão deve ser firme com três sacudidas. Tapinha nas costas e beijinhos devem ser evitados, a menos que haja grande intimidade.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Presidente da Câmara de São Bernardo quer vetar batom, esmalte claro, saia curta e perfume

Diário do Centro do Mundo Cunha manda recado ao governo de que pode repensar delação premiada

Da Coluna do Estadão:   Preso desde outubro do ano passado, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha começou a mandar recados na direção do governo federal. Segundo interlocutores do deputado cassado, ele avisou que vai esperar apenas até o fim do mês para constatar se foi ou não “abandonado” pelos antigos aliados. A grande preocupação dele é com os desdobramentos jurídicos em relação a seus familiares. Assim, segundo seus interlocutores, se essa situação não for resolvida e os parentes correrem risco de prisão, Cunha poderá discutir a delação premiada.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Cunha manda recado ao governo de que pode repensar delação premiada

Diário do Centro do Mundo Geddel mantém influência, atua nos bastidores e faz contatos frequentes com cúpula do governo

Do Estadão:   Alvo da Operação Cui Bono?, o ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima mantém sua influência no núcleo duro do Palácio do Planalto, atua nos bastidores e faz contato frequente com os principais integrantes da cúpula do governo. Toda a estrutura montada por Geddel no governo Michel Temer foi mantida, apesar de sua demissão, em novembro passado. Desde a ausência de Geddel, o dia a dia da pasta tem sido tocado pela secretária executiva Ivani dos Santos, seu braço direito. A Secretaria de Governo é responsável por questões estratégicas, como liberação de recursos para emendas parlamentares, divisão de cargos entre os integrantes da base aliada e articulação de votações de projetos de interesse do Planalto no Congresso. A “parceria” entre Geddel e Ivani remonta ao período em que o peemedebista foi deputado federal e ocupou a Primeira-Secretaria da Câmara, em 2003 e 2004. Três anos depois, ao ser alçado ministro da Integração Nacional pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele levou Ivani para sua equipe. Antes de assumir o atual posto, ela estava lotada no gabinete da liderança do PMDB na Câmara. O atual chefe de gabinete da Secretaria de Governo, Carlos Henrique Menezes Sobral, também é considerado um dos “soldados” de Geddel. A exemplo de Ivani, ele ocupou uma cadeira de destaque quando o peemedebista comandou a Integração Nacional. Na ocasião, foi nomeado secretário de Desenvolvimento do Centro-Oeste do ministério. A relação de Sobral estende-se ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – preso na Lava Jato – tendo sido assessor especial do peemedebista na presidência da Câmara. Cunha. As investigações da Polícia Federal e do Ministério Público indicam que Geddel atuava em conjunto com Cunha “em negociações ilícitas” envolvendo empresas interessadas na liberação de empréstimos da Caixa, entre 2011 e 2013. Geddel ocupou o cargo de vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa no governo da então presidente Dilma Rousseff e, de acordo com o Ministério Público, agia de “forma orquestrada” para beneficiar empresas. O peso de Sobral na estrutura do governo está ligado às negociações relativas a emendas parlamentares, usadas como moeda de troca em votações de interesse do Planalto no Congresso. Servidores disseram que, logo após a saída de Geddel – acusado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero de fazer pressão para a liberação de um empreendimento imobiliário em Salvador, no qual tinha apartamento –, integrantes da cúpula do governo pediram para que todos se mantivessem nos cargos. O argumento foi o de que não fazia sentido deixar a pasta esvaziada em meio às discussões de projetos de interesse do Executivo no Congresso. (…)

Fonte: Diário do Centro do Mundo Geddel mantém influência, atua nos bastidores e faz contatos frequentes com cúpula do governo

Diário do Centro do Mundo Delegado da Lava Jato diz que timing para prender Lula foi perdido

O delegado federal Maurício Moscardi Grillo, coordenador da Operação Lava Jato, disse à Veja que “os elementos que justificariam um pedido de prisão preventiva não são tão evidentes” no caso de Lula. Ele afirmou que “houve um tempo em que os investigadores tinham provas, áudios e indícios que poderiam caracterizar tentativa de obstrução da Justiça”. Segundo Grillo, foi um erro ter levado Lula para depor no Aeroporto de Congonhas porque acabou permitindo a ele passar uma imagem de vítima. Sobre seus colegas: “Há uma personificação da parte de alguns procuradores como heróis na força-tarefa”.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Delegado da Lava Jato diz que timing para prender Lula foi perdido

Human Rights Watch: Trump e líderes europeus representam uma ameaça aos direitos humanos

A organização Human Rights Watch divulgou seu Relatório Mundial de 2017 no qual classificou o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, e vários outros líderes mundiais como ameaças aos direitos humanos.

Fonte: Human Rights Watch: Trump e líderes europeus representam uma ameaça aos direitos humanos

Quando você cresce, seu coração morre | Revista Bula

Eu quase fui o primeiro da sala. Em matéria de vida, continuo na dependência. Só sei que nada sei, sei que já ouviram isso antes. Eu quase me tornei um jogador de futebol. A bola simplesmente discordava disso, estranhava as minhas pernas, ribombava nas canelas. Um perna-de-pau a menos a pisotear a grama. Eu quase ganhei um monte de grana. Só que eu não apostava em loterias. Nunca pensei em me tornar um milionário. Juro. Eu achava os burgueses da escola uns chatos. E como cheiravam à loção de lavanda. Brancos, lisinhos, bem penteados, nauseantes.

Fonte: Quando você cresce, seu coração morre | Revista Bula

DA MORADA QUE NEGAM | Jornalistas Livres

Era uma rua longa e um comprido muro, sem fim de se ver no deserto em dilúculo. O que trazia aquelas pessoas ali altas horas, perto da madrugada? A morada. Da morada se diz que é reunião das coisas da vida, em uma única palavra, do que se tem apreço. Pai, mãe, filhos, as cunhadas e toda rede de vínculos que se chama família, e seus pertences. É casa sobre a terra que se quer aqui, O que se pede é uma porta sem aluguéis e uma chave como direito. Há um cheiro forte de abandono nesse chão, Aqui e agora todos se misturam em um sonho absurdo, tal buraco de tatu aberto no céu com a cidade ao longe, […]

Fonte: DA MORADA QUE NEGAM | Jornalistas Livres

Complaints Describe Border Agents Interrogating Muslim Americans, Asking for Social Media Accounts

Muslim-Americans at the U.S. border say that they are being targeted by border agents. One young man alleges he was choked after declining to turn over his mobile phone.

Fonte: Complaints Describe Border Agents Interrogating Muslim Americans, Asking for Social Media Accounts