Diário do Centro do Mundo VÍDEO: 5 médicos psicopatas famosos

Fonte: Diário do Centro do Mundo VÍDEO: 5 médicos psicopatas famosos

Anúncios

Diário do Centro do Mundo Dormindo com o inimigo: o crime dos médicos que vazaram exames de Marisa não pode ficar impune. Por Kiko Nogueira

  No Brasil do golpe, ninguém perderá dinheiro por superestimar a capacidade nacional em ser canalha. Enquanto estava em coma profundo, lutando por sua vida, Marisa Letícia dormia com os inimigos. Uma médica do Sírio Libanê chamada Gabriela Munhoz, de 31 anos, compartilhou por WhatsApp com seus colegas imagens do exame da ex-primeira dama horas depois da internação. Gabriela avisava que Marisa estava no pronto socorro com AVC hemorrágico de nível 4, um dos mais graves, e seria levada para a UTI. O grupo se intitulava “MED IX”, composto de formandos em Medicina da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul em 2009. Segundo o Globo, no dia da internação de Marisa, um médico que não atua no Sírio enviou dados sobre o diagnóstico. Pedro Paulo de Souza Filho postou imagens de uma tomografia atribuída a Marisa, acompanhadas de detalhes fornecidos por Gabriela. O neurocirurgião Richam Faissal Ellakkis comentou: “Esses fdp vão embolizar ainda por cima”. Em seguida: “Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela”. Ellakkis trabalha, entre outros lugares, na Unimed São Roque, no interior de São Paulo. Vai ficando mais claro de onde veio “furo” do biógrafo de Lobão, Claudio Tognolli, que gravou um vídeo se jactando de ter em mãos a tomo da mulher de Lula. Depois da repercussão, chegou a alegar que “um petista” lhe havia passado. Balela. O Sírio soltou uma nota, na ocasião, afirmando que nada saiu de lá e que “zela pela privacidade de seus pacientes e repudia a quebra do sigilo médico por qualquer profissional de saúde”. Se não vivêssemos no Paraguai e se não fossem doutores, o Sírio e as demais instituições envolvidas teriam demitido sumariamente essa corja e o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo já teria divulgado um repúdio. Mas o corporativismo deles é invencível. Basta lembrar que a pediatra que se recusou a atender um menino de colo porque ele era “filho de petistas” não recebeu sequer uma advertência. O Código de Ética da turma dispõe em seu artigo 89 que “é vedado liberar cópias do prontuário sob sua guarda, salvo quando autorizado, por escrito, pelo paciente”. Violaram o artigo 154 do Código Penal, cujo objetivo é proteger a liberdade individual e a inviolabilidade dos segredos profissionais. A pena prevista é de detenção e multa. Passaram por cima do artigo 5º da Constituição, parágrafo X: “São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”. O problema é que na nossa selva alguns bichos são mais iguais do que outros. Temos, hoje mais do que nunca, bestas que não hesitam em atacar sua presa especialmente se ela estiver inerte, à beira da morte.

Fonte: Diário do Centro do Mundo Dormindo com o inimigo: o crime dos médicos que vazaram exames de Marisa não pode ficar impune. Por Kiko Nogueira

Diário do Centro do Mundo MP de Minas deve investigar fraude na licitação da Cidade Administrativa de Aécio. Por Joaquim de Carvalho

A delação de um diretor da Odebrecht que envolve o ex-governador Aécio Neves no esquema de corrupção milionária para a construção da Cidade Administrativa pode ser a peça que faltava num quebra-cabeça que o Ministério Público de Minas Gerais tenta montar desde 2007, quando recebeu a denúncia de que as cartas estavam marcadas na maior licitação do governo da época. Naquele ano, a promotora Elisabeth Vilella recebeu em seu gabinete um diretor da empreiteira Construcap, com a denúncia de que houve fraude na concorrência para a construção da Cidade Administrativa, que custou aos cofres públicos de Minas Gerais 2,1 bilhões de reais. A Construcap apresentou uma proposta que tinha o menor preço, mas ainda assim foi desclassificada. A empresa recorreu à Justiça e, mediante uma liminar, conseguiu ter seu nome incluído na relação dos licitantes. Mas, por uma decisão do governo, a licitação foi suspensa até que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais derrubou a decisão de primeira instância. Foi então que o diretor da Construcap procurou o Ministério Público de Minas Gerais e denunciou a trama, num depoimento formal. A Construcap deixou com a promotora Elisabeth Cristina dos Reis Villela o envelope com sua oferta na licitação. Era menor que todas as outras. Ao mesmo tempo, a Construcap continuou com seu recurso no Poder Judiciário. Três anos depois, a Construcap desistiu do recurso, na mesma época em que assinou com o governo de Minas Gerais o contrato de Parceria Público Privada para administrar o Mineirão pelos 25 anos seguintes. Com a desistência da Construcap na esfera judicial, o inquérito civil público perdeu força e, por decisão da promotora Raquel Pacheco, que havia herdado o caso, foi arquivado até o surgimento de novas provas. As novas provas surgem agora, na delação da Odebrecht. O presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedito Júnior, contou “se reuniu com Aécio Neves (PSDB-MG) para tratar de um esquema de fraude em licitação na obra da Cidade Administrativa para favorecer grandes empreiteiras”, segundo a Folha de S. Paulo. Depois da reunião, Benedito foi orientado a procurar o presidente da Codemig (empresa do governo de Minas que construiu a Cidade Administrativa), que definiu o valor da propina a ser paga para o esquema de Aécio Neves: 2,5 a 3% do valor do contrato. O presidente da Codemig era Oswaldo Borges da Costa Filho, o mesmo que a Construcap denunciou em 2007, por fraude na licitação. “Com a delação da Odebrecht, a história fecha. Se quiserem esclarecer os fatos, é só desarquivar o inquérito civil, e acho que o Ministério Público de Minas Gerais não terá como fugir disso”, diz uma autoridade que acompanhou o depoimento do diretor da Construcap.   Oswaldo Borges da Costa Filho é genro do banqueiro Gilberto de Andrade Faria (banco Bandeirantes), que morreu em 2008 e era casado com a mãe de Aécio – portanto, padrasto do senador. Ele também foi “tesoureiro informal” da campanha de Aécio, segundo a denúncia de mais de um empreiteiro ouvido na Lava Jato. Ao tomar posse de seu primeiro mandato como governador de Minas, Aécio chegou à Assembleia Legislativa num Rolls Royce, que, soube-se depois, estava em nome do seu “tesoureiro informal”. Durante muito tempo, a Cidade Administrativa foi a grande vitrine do governo Aécio Neves. Foi apresentada como resultado do “choque de gestão”, e quando ele a inaugurou, em 2010, convidou muita gente, inclusive o ministro do STF, Gilmar Mendes, ao lado de quem Aécio aparece na revista Fotos & Festa (estilo Caras, edição número 51, de março de 2010). Na mesma edição da revista, Aécio é retratado em outra solenidade, a de transmissão do cargo de governador para Antonio Anastasia. Numa das fotos, um Aécio sorridente está ao lado do amigo Luciano Hulk e da atriz Maitê Proença. Aécio deixou o governo, mas não a relação estreita com seu “tesoureiro informal”. Eleito senador, ele foi visto algumas vezes se deslocando no jato PT-GAF (as iniciais de seu padrasto, Gilberto de Andrade Faria, então já falecido). O avião particular, que alguns adversários chamavam de AeroAécio,  pertencia a uma empresa que também estava registrada em nome do seu “tesoureiro informal” e de Cemente Faria — filho do padrasto de Aécio –, a Banjet. Ao se defender agora da delação do presidente da Odebrecht Infraestura, de que participou do conluio para beneficiar empreiteiras na construção da Cidade Administrativa, juntamente com Oswaldo Borges,  Aécio divulgou em que nega as acusações e diz: “O edital de construção da Cidade Administrativa foi previamente apresentado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado e as obras auditadas durante sua execução por empresa independente contratada via licitação pública, não tendo sido apontada qualquer irregularidade durante todo o processo”. Curioso: em 2013, o então governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que foi casado com uma prima de Aécio e tem três filhos com sangue Neves, foi homenageado num seminário organizado pelo Tribunal de Contas

Fonte: Diário do Centro do Mundo MP de Minas deve investigar fraude na licitação da Cidade Administrativa de Aécio. Por Joaquim de Carvalho

Sírio-Libanês diz que “tomou medidas disciplinares” contra médica que vazou informações sigilosas de Dona Marisa – Portal Fórum

A médica Gabriela Munhoz, pouco tempo após a internação da ex-primeira-dama, enviou detalhes de seu diagnóstico (um AVC hemorrágico nível 4, considerado

Fonte: Sírio-Libanês diz que “tomou medidas disciplinares” contra médica que vazou informações sigilosas de Dona Marisa – Portal Fórum

Quem ganha com o Déficit Fiscal | Outras Palavras

https://www.youtube.com/watch?v=R5hgBo50z3QVelha mídia cala-se diante do pior rombo de todos os tempos nas contas públicas. Por que o desastre ocorreu se estamos, supostamente, economizando e corrigindo os erros do passado? Como os números ajudam a pensar novas políticas?Por Antonio Martins

Fonte: Quem ganha com o Déficit Fiscal | Outras Palavras

Tsunami de delações de Eike Batista pode varrer cenário político brasileiro

Preso em Bangu 9, no Rio, respondendo à varias acusações de corrupção, pagamento de propina e envolvimento ilícito com o ex-governador Sérgio Cabral, também preso, o empresário Eike Batisa é o tema do livro “Tudo ou Nada: Eike Batista e a Verdadeira História do Grupo X”, lançado agora pela jornalista Malu Gaspar, pela Editora Record.

Fonte: Tsunami de delações de Eike Batista pode varrer cenário político brasileiro