Carlos Dincao 

HORA DE UNIÃO, RESISTÊNCIA E INTELIGÊNCIA 
Não sejamos inocentes e muito menos precipitados. 
Iremos acreditar que – de repente – a Rede Globo e o Poder Judiciário acordaram dispostos a fazer justiça social e se tornaram (junto com o a classe trabalhadora) em inimigos de Aécio Neves, PSDB e Temer?
Quantas provas serão necessárias para chegarmos à conclusão de que o plano dessa emissora e do judiciário é impor a lógica do desgoverno contínuo para nossa nação? 
Quantas vezes os vazamentos cairão convenientemente nas mãos da Rede Globo? Já não está claro o suficiente para todos que o judiciário e a Rede Globo são duas faces da mesma moeda?
Imaginem o quanto não lucraram no mercado financeiro e no mercado cambial aqueles que sabiam dessas informações bombásticas que “alguém” do judiciário gentilmente doou à Rede Globo…
Mais: Quem no STF permitiu um empresário gravar de forma clandestina uma conversa com o Presidente da República? Isso é um novo e flagrante golpe! E se fosse com a Dilma? Agora então pode?
Obviamente que quem é do campo da esquerda está agora feliz em ver Aécio perdendo o cargo de senador, sua irmã sendo presa, Temer sendo investigado e esculhambado no Jornal Nacional e os golpistas provando do seu próprio veneno.
Mas não sejamos massa de manobra. Temos que lembrar que isso não é um “Fla-Flu”, isso aqui é um jogo muito mais sério: trata-se agora de defendermos a soberania nacional de um ataque de setores reacionários, anti-democráticos e que atuam em conjunto com nações estrangeiras, em especial os EUA.
Não acharemos no mínimo estranho o dono da JBS  – depois de ter alegado que corrompeu todos os partidos e políticos do Brasil na cifra que chega a bilhões de reais – simplesmente ganhar de “presente” sua liberdade nos EUA?
Enquanto isso Marcelo Odebrecht e outros executivos da OAS  e da Odebrecht ainda continuam presos… Isso não soa pelo menos um pouquinho desproporcional? Qual é a diferença da Odebrecht, da OAS e da JBS? Uma diferença salta aos olhos: a JBS tem a maior parte do seu capital nos EUA.
A direita brasileira foi ingênua em acreditar que sua vida ia ser um céu de brigadeiro com a queda de Dilma. Abraçou essa aventura sem questionar o real custo disso tudo e sem saber os verdadeiros planos que estavam por de trás da derrocada do PT.
A ideia sempre foi tornar o Brasil em uma grande massa falida e comprá-lo de forma barata e fatiada. Para que esse procedimento ocorra no mercado, é necessário a instabilidade política contínua. 
Agora querem a queda do Temer. Depois vão querer eleições indiretas e a escolha de dois políticos frágeis e sem legitimidade para se submeterem aos ditames da lógica do desgoverno.  
Esse novo presidente ilegítimo servirá para ser derrubado nas ruas. Seu vice, ainda mais ilegítimo, assumirá para dar conta de um calendário catastrófico de sucessão presidencial onde não restará nenhum presidenciável capaz de governar o Brasil pois, em paralelo a tudo isso, o judiciário já terá condenado Dilma e Lula.
E esse é justamente o nome que as forças do desgoverno contínuo possuem como último obstáculo: Lula. Para se evitar uma “saída Lula”, parte do caquético generalato do exército brasileiro já está a postos. O que é incerto é saber até quando uma saída desse nível não irá ser do tipo “tentar apagar fogo com gasolina”…  
Por isso é importante nos unirmos em torno da defesa de Lula (gostemos dele ou não) e contra as forças anti-democráticas da Rede Globo e do Poder Judiciário. Essas forças querem destruir todas as instituições políticas no Brasil.
Isso não significa que devemos apoiar os crimes que estão ocorrendo na política hoje. Mas duas verdades devem ser ditas: 1 – Está mais do que provado de que são as grandes empreiteiras e as grandes corporações, as corruptoras ativas do processo político brasileiro; 2 – Se reformas políticas são necessárias, não será a pútrida Rede Globo e muito menos os escravistas do judiciário quem ditarão o conteúdo dessas reformas.
Uma união pluripartidária em defesa das instituições políticas é urgente. O ideal seria a própria direita entender que o único líder capaz de salvaguardar o poder executivo, o poder legislativo e a soberania nacional tem um nome fácil de se pronunciar: LULA. 
E a única forma de se estabelecer o fim do caos são eleições diretas já. O ideal é que isso fosse realizado por um processo conduzido – de forma imediata – pelo próprio Temer… Mas para isso seria necessário inteligência da parte dele… E da direita… Mas se eles não forem inteligentes, que ao menos nós, do campo popular, sejamos… UNIDOS, RESISTENTES E INTELIGENTES.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s