Renato Janine Ribeiro: “Não há lei que possa proibir faixas contra o fascismo e a morte de Marielle” – Nocaute

A série de ações de policiais e fiscais eleitorais em universidades de todo o país nesta semana, sob justificativa de estarem fazendo propaganda eleitoral irregular, foi suspensa pela ministra do STF Cármen Lúcia neste sábado (27).

Fonte: Renato Janine Ribeiro: “Não há lei que possa proibir faixas contra o fascismo e a morte de Marielle” – Nocaute

PIERPAOLO BOTTINI, JURISTA, ARGUMENTA PORQUE VOTAR EM HADDAD – A Postagem

Por Pierpaolo Bottini – A polarização tomou conta do país. Nesse ambiente, difícil tomar posição sem criar problemas, rompimentos, ou levar desaforos para o lar. Mas como o silêncio será entendido …

Fonte: PIERPAOLO BOTTINI, JURISTA, ARGUMENTA PORQUE VOTAR EM HADDAD – A Postagem

Cármen Lúcia chama de “ditadores” juízes que reprimiram universidades – Blog da Cidadania

Ao suspender liminarmente atos judiciais e administrativos que determinaram ações da polícia em universidades, a ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia afirmou, neste sábado, 27, que ‘toda forma de autoritarismo é iníqua’ e que, é ‘pior quando parte do Estado’.

Fonte: Cármen Lúcia chama de “ditadores” juízes que reprimiram universidades – Blog da Cidadania

Xadrez da entrada da PGR e do STF na frente democrática, por Luis Nassif | GGN

Peça 1 – As regras informais da democraciaUm dos pontos centrais do funcionamento da democracia são os pactos, as regras informais de conduta. São elas que reprimem das atitudes anti-sociais às tent

Fonte: Xadrez da entrada da PGR e do STF na frente democrática, por Luis Nassif | GGN

“Contra a Fome Os Muros Não Valem”: A Situação Da Caravana De Migrantes Para Os EUA | Brasil de Fato

Sete mil centro-americanos percorreram mais de 700 quilômetros em 15 dias de travessia por melhores condições de vida

Fonte: “Contra a Fome Os Muros Não Valem”: A Situação Da Caravana De Migrantes Para Os EUA | Brasil de Fato

Rede Pública alemã diz que eleger Bolsonaro é “flertar com o passado” – Blog da Cidadania

Em editorial, a Rede Pública de TV, rádio e jornais alemã, a Deutche Welle, diz que a provável eleição de Jair Bolsonaro joga o Brasil em terreno incerto. A julgar por suas declarações, o país pode retroceder décadas.

Fonte: Rede Pública alemã diz que eleger Bolsonaro é “flertar com o passado” – Blog da Cidadania

Batismo no rio Jordão, empresários e promessas vazias: como Bolsonaro construiu a imagem de “amigo de Israel” | Brasil | EL PAÍS Brasil

O candidato enfatizou sua relação com empresários e políticos judeus para alavancar candidatura. Aproximação causou uma crise na comunidade judaica entre os defensores dos direitos humanos

Fonte: Batismo no rio Jordão, empresários e promessas vazias: como Bolsonaro construiu a imagem de “amigo de Israel” | Brasil | EL PAÍS Brasil

Freixo afirma em vídeo que Bolsonaro defendeu a legalização das milícias | Revista Fórum

“Ele defendeu agora, o excludente de ilicitude. O que quer dizer isso? Que a polícia pode e deve matar que não será investigada”, disse Freixo. Veja o vídeo

Fonte: Freixo afirma em vídeo que Bolsonaro defendeu a legalização das milícias | Revista Fórum

Algumas semelhanças sádicas entre o Bolsonarismo e o Hitlerismo, por Djefferson Ferreira | GGN

 Algumas semelhanças sádicas entre o Bolsonarismo e o Hitlerismopor Djefferson Ferreira O sádico, muitas das vezes, aparenta agir na mais pura bondade e com excesso de preocupação em relação

Fonte: Algumas semelhanças sádicas entre o Bolsonarismo e o Hitlerismo, por Djefferson Ferreira | GGN

Censura nas universidades mostra que Judiciário embarcou no “Escola sem Partido”. Por Luis Felipe Miguel

Publicado originalmente no perfil do autor no Facebook POR LUIS FELIPE MIGUEL, professor da UnB As ações de censura nas universidades mostram como, na larga fatia do Judiciário colonizada pela extrema-direita, penetrou a ideologia nefasta do chamado “Escola Sem Partido”. A educação não pode ter discussão, não pode ter reflexão crítica, não pode incidir no […]

Fonte: Censura nas universidades mostra que Judiciário embarcou no “Escola sem Partido”. Por Luis Felipe Miguel