De golpe em golpe, chegamos ao “distritão” | Brasil 24/7

Colunista do 247 Tereza Cruvinel lamenta a aprovação, pela comissão da reforma política da Câmara, do chamado “distritão” para as eleições de 2018, sistema pelo qual serão eleitos os mais votados; “As decisões ainda passarão pelo plenário mas a frente anti-distritão a não tem 150 votos para evitar a tragédia: com estes sistema, vamos ter um Congresso piorado, mais elitista, mais conservador, mais negocista, com forte prevalência de bancadas evangélica e ruralista. Esta perspectiva é tenebrosa e aponta para o pior dos mundos. Ainda que seja eleito um presidente progressista, ainda que Lula seja eleito, como será possível governar com um Parlamento destes?”, questiona; “Seria deposto, como Dilma. É dura a vida no bananão”, afirma

Fonte: De golpe em golpe, chegamos ao “distritão” | Brasil 24/7

Não é só por Rafael Braga | Brasil 24/7

A injusta condenação penal do catador de objetos usados Rafael Braga, um jovem negro, é bastante emblemática sobre a situação de vulnerabilidade em que vive historicamente as populações excluídas em nosso país. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou por 2 x 1 o pedido de Habeas Corpus para Rafael Braga e resolveu seguir a lógica do sistema dominante de julgar e condenar uma pessoa considerando apenas a sua condição social

Fonte: Não é só por Rafael Braga | Brasil 24/7

Situação de Rafael Braga será discutida em audiência pública na Câmara | Brasil 24/7

Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal irá debater a prisão do ex-catador de latas Rafael Braga, preso desde os protestos de 2013 sob acusação de tráfico de drogas, quando, na mochila, o jovem portava um frasco de Pinho Sol; requerimento para a audiência pública é da deputada Benedita da Silva (PT-RJ), em conjunto com o deputado Paulão (PT-AL), presidente da CDHM

Fonte: Situação de Rafael Braga será discutida em audiência pública na Câmara | Brasil 24/7

Dodge e Temer sob suspeita | Brasil 24/7

Jornalista Alex Solnik dispara perguntas sobre o encontro entre Michel Temer e a nova procuradora-geral da República; “A primeira questão é: por que o encontro foi secreto? A segunda: nunca se soube de um caso em que o presidente da República se ocupou em tratar de detalhes da posse um Procurador Geral, tarefa que é delegada ao chefe do cerimonial. E anida: se o encontro foi combinado no mesmo dia supõe-se que havia um assunto urgente a debater ou combinar. Que urgência havia a respeito de uma posse que se dará daqui a 40 dias?”; para ele, “não têm pé nem cabeça as explicações de Dodge e de Temer”

Fonte: Dodge e Temer sob suspeita | Brasil 24/7